Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘robótica’

A água produz energia. Se é assim, o acrílico que reveste o motor do ventilador + cooler + cano de brinquedo para escoar a água

A água produz energia. Se é assim, o acrílico que reveste o motor do ventilador + cooler + cano de brinquedo para escoar a água

Diz o ditado que se você não pode com o inimigo, alie-se a ele. Pronto. Estou de pontinha do nariz, palminhas das mãos e olhos nos olhos com o desejo de ser inventador do meu pequeno grande Theo. Ok. Tudo bem. Estou sendo dramática. É. Estou. Como já disse aqui, essa fascinação por invencionices 24h por dia já me aperriou muito. Já me aperriou mais. Hoje menos que pouco.  “Que eu fosse mais aperreio do que encanto, nem faria o blog (ou não)”.

Sendo redundante (com prazer): como mãe, eu desejo asas para que meu filhote alcance outros mundos; que a imaginação e criação voe longe. Assim como, como mãe, sou cimento, sustentação, base, para que ele volte com segurança de suas viagens. É só. E nesse mundo é melhor não limitar. Mas ampliar. Aprendi que a gente só transforma intencionalmente o que conhece. Pra aproveitar, é bom que seja assim.

Bem, Theo-e-seu-desejo venceu a todos. Hoje na escola, por meio da professora queridíssima dele, Rebeca, descobri que a Divertec, empresa/escola que ensina robótica, tem espaço para o pequeno. “Apois-então” Theo começa lá em outubro; 1 dia útil do mês. Sua rotina, para sua felicidade, será feita agora de 1h30, uma vez por semana, dedicada a inventar. E inventar com direito a ver, no final, o invento funcionando de verdade.

Ainda neste mês ele terá uma aula experiência. O pequeno, no primeiro momento, não curtiu “fazer curso”. Afinal… curso não soou “brincadeira”, mas “obrigação”.

Diálogo incial: “Theo, mamãe vai te colocar numa aula de robótica. Uma aula para inventadores. Pra tu fazer máquinas de verdade, mexer com fios, baterias, motores”… eu nem tinha encerrado o papo, ele, me cortando, com raiva (e jeitão bem MANDÃO – assim, em caixa alta mesmo): “Não. Não quero fazer nenhum curso. Quem faz curso é quem não está na escola. E eu estou. Não e não. Já disse! Eu fiz um combinado com você e faço judô. Não quero mais fazer nada e pronto. Não vou mais ouvir o que você está falando. Eu já sei inventar. Não preciso que ninguém me ensine. Não quero mais nada no meu calendário” (botou as mãos nos ouvidos).

Adendo: calendário aí quer dizer agenda… : )))

Mãe-nóia incorpora a minha pessoa (como o Pateta do desenho quando incorporava o louco)… desce o santo e, eu, meio errada, (o que é péssimo porque é o mesmo que colocar a bola na frente do gol só esperando que o outro chute ou ainda, como diz Michiles, é passar recibo), falei: “Meu amor…. calma. Veja só: teus inventos funcionam de verdade? Eles ligam, sempre? Você sabe fazê-los ligar?”

“Não. Não consigo” (cara amarradíssima, monossilábico)

“Então, filho….” Eu achei que tu fosse amar essa aula. É tudo que tu gosta de fazer. Inclusive tu sabia que lá no curso tem uma lojinha de brinquedos só desse tipo: invencionices que funcionam, barcos movidos a energia eólica, motores, pilhas para montar brinquedos legais ….?”

E ele, mais calmo, mas ainda com ranzinzisse…: “vou ver como é. Uma vez. É hoje?”

Aí, eu… por cima da carne seca: “Não. Não pode hoje porque eu não vou poder. E nem próxima semana. Só depois”. E ele pra Teca: “Não vou pro judor hoje. Já avisei a minha mãe que ou faço judô ou robótica”. E Teca: “Está certo, Theo. Mas bora trocar de roupa que você está atrasado. Foi-se feliz da vida. : ))

ps: Theo não é cheio de atividades. O judô tem só dois meses na vida desse “terrorista”. Menor, fez capoeira. E só. O resto era em casa com Teca. Sempre fui preocupada em não deixar Theo com uma super agenda. Sempre. Meu tempo é mais lento. E ele pode optar por acelerar isso. Mas não é o que proporciono hoje.

ps1: A aula de robótica será num dos dias do Judô. E eu ainda testarei, em sendo assim, se não seria melhor tirar a sexta de judô. Isso pode porque a sexta é complemento de aula: defesa pessoal. Mas quem quer só faz dois dias e não três. Vou testar pra ver qual é….

ps2: Theo, como sempre, fala uma coisa pra mim…. mas quando sai do judô sai feliz da vida. Sempre. E eu sempre só vou pegá-lo quando a babavó Teca liga. Porque ele não quer voltar assim que termina, mas quer ficar lá brincando um pouco. E eu deixo. Não altero por ficar orbitando em torno desse pequeno.

ps3: ontem, quando fui buscá-lo no judô, ele: mamãe, o Sansei perguntou pra mim se eu era um homem ou um saco de cuscuz (falou se abrindo isso). E tu, filho… respondeu o quê? “sou um homem… mas depois disse, um prato de cuscuz” (e caiu na risada de novo).

ps4: Theo tem um humor muito legal. Ele é “malicioso”. Faz piadinha fácil com as coisas. Gosta de trocadilhos… de comentários de ondinha. Dia desses, também numa volta do judô, uma mulher de maneira surreal parou no meio da rua seu poçante (do tipo: comprei a rua. Eu posso. Beijos e não me liga!). E eu, buzinei na bundinha fofa dela. Theo, de pronto:  ô, mamãe… é que ela está te esperando…. olhando com aquele sorriso que ri da minha cara…. e eu: “pilantra, não falei contigo. Senta, coisa” E ele, riu satisfeito da piadinha. Ele adooora fazer gracinhas com as situações.

Read Full Post »