Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 17 de junho de 2009

Hora do almoço

Diálogo:

Mamãe: Theo venha pra mesa almoçar, meu amor!

adendo: tem dias que comemos na mesa dele (baixinha pra ele) e em que comemos na grande da sala. Vai de acordo com os ânimos do dia.

Theo: não quero almoçar na mesa não!

Mamãe: mais meu filhote, lugar de comer é na mesa. E mamãe veio pra almoçar juntinho com você.

Theo: mas eu quero ficar comendo perto do meu ventilador.

Mamãe: Theo, você sabe que agora é a hora de almoçar. Depois que comer você irá escovar os dentes, tomar seu banhinho gostoso e pode fazer o que quiser, ok? Combinado?

Theo: ah, não. Assim não. Pode ser brincando de combustível (ele brinca com o que quer e eu coloco comida na boca como se fosse combustível).

Mamãe (as energias indo embora): Não, Theo! Venha agorinha mesmo pra mesa. Lugar de comer é na mesa. A gente brinca depois de combustível. Noutro momento. Final de semana, por exemplo, que não tem horário certo pra mamãe voltar pro trabalho. Hoje eu estou correndo. venha “simbora”.

Theo: então vou levar o venilador pra mesa.

Mamãe: NÃOOOOO THEO. AGORA. PRA MESA. JÁ.

Tem vezes e vezes pro final desse diálogo de almoço.

* quando é massa: sobe na mesa, já muda de assunto. Pede “preu” dar na boca (toda chantagem é pouca)… mas come feliz, depois vai comigo escovar os dentes e toma banho. E ainda pede: mamãe queria um pouco de alisado antes de tu ir. “ok, filho”. Mamãe vai te dar montão de beijinhos. E alisar tu bem muitão, muitão, muitão (a quantidade é maior de acordo com a repetição do “muitão”).

* quando é ruim: pega o ventilador (quando não faz já chorando choro sem lágrimas), arrasta a cadeira e põe o danado do lado. E eu? Eu peço (já com a cabeça a mil ) pra ele prestar atenção a comida. Que quero que ele faça uma coisa por vez. Que a comidinha precisa chegar aos pés, aos olhos, as mãos…. e que ele precisa sentir isso pelo corpo (góga cabecista, diria Danilo aqui da Aponte). Bem, vale qualquer coisa.

Ele segue “medindo forças” até o final da comida…

Mas há vezes que consigo fazê-lo relaxar no meio comigo “insistindo em conversar sobre coisas ao acaso, fingindo que não tô nem aí pro espetáculo dele”.

De um jeito ou de outro, o ventilador permanece lá, juntinho. : )

ps: tem dias que o ventilador dorme do lado dele.

ps1:não é sempre: nem que ele dorme com ele do lado, e nem que eu tiro depois que ele pega no sono. Mas também tem dias que ele acorda de madrugada perguntando por…. (isso acontece principalmente quando é novidade em forma de ventilador). Mando ele pra cama IMEDIATAMENTE. O máximo é ficar com ele. Mas não abro nem pro trem nessas horas.

Anúncios

Read Full Post »